25 janeiro 2010

Capítulo 68 - Please remember;

Me lembro, como ninguém, dos meus dias de infância. Acredite, eles são mais claros e mais reais para mim que os dias atuais.
Era feliz e não sabia. Tinha o mundo em minhas mãos e o deixei cair.
Lembra como nós éramos felizes? Como as despesas eram menores? As contas eram pagas todas em dia? Como nós não brigávamos? Como tudo parecia simples e maravilhoso?
Lembra?
Mas nós perdemos isso. Como um intruso pode alterar o cenário total? A armação despencou, o maravilhoso acabou-se.
A harmonia, a felicidade, os domingos no rodízio de pizza, as tardes de quinta e sexta na avó, a atenção que me era dada, tudo o que era bom se foi.
Quero tudo de volta.
Não quero que fique do jeito que está.
Quero poder acordar cedo - mas não tão cedo - e ver um dia lindo, ganhar um bom dia junto com pão torrado e sorrir. Quero ver TV e depois ir à escola e não me preocupar com geografia ou história. Ver meus amigos, correr, brincar, conversar e saber que tudo está bem. E sorrir.
Me despedir, voltar para casa, ver meu seriado, fazer lição, dormir. E sorrir.
Quero me lembrar de como é sorrir de verdade mais de uma vez ao dia. Quero sorrir e saber que tudo está bem.
Quero me lembrar, por favor.


Fim do capítulo 68;

2 notas de rodapé:

Jotapê disse...

Prii, esse de fato é o post em que eu mais me identifiquei. não poderia ser mais perfeito e não poderia me dar mais nostalgia (:

Nicholas disse...

lembra a musica Amnesia do The Vines,minha favorita deles